Triglicerídeos: quais alimentos temos que evitar

9 de fevereiro de 2021

Triglicerídeos são a principal reserva de energia do organismo. É a famosa gordura que fica estocada nas células do tecido adiposo, mas que pode ser acumulada em alguns órgãos, como o fígado, ou circular pela corrente sanguínea.

Níveis elevados de triglicerídeos estão relacionados a um maior risco de desenvolver diabetes e doenças cardiovasculares, além de outras doenças graves, como a pancreatite. Daí a importância de se controlar o consumo de alimentos que aumentam os triglicerídeos, mas você sabe quais são eles?

Antes disso, é preciso entender de que forma o organismo obtém e acumula esses triglicerídeos. Eles podem vir diretamente de fontes alimentares ricas em gorduras saturadas e trans, mas o organismo também pode produzir triglicerídeos.

O consumo de carboidratos, em especial os açúcares e amidos refinados, o álcool e a frutose, quando em excesso e não utilizados de imediato, são transformados em triglicerídeos pelo fígado para que possam ser armazenados no tecido adiposo.

Dessa forma, fica mais fácil saber quais são as principais fontes de triglicerídeos de nossa dieta:

– Massas, pães e biscoitos não integrais

– Arroz branco

– Bebidas alcoólicas

– Doces em geral, como bolos, chocolates, sorvetes, pudim etc.

– Refrigerantes e bebidas açucaradas

– Mel e xaropes

– Excesso de frutas e sucos com alto teor de frutose, como uva, manga, laranja e banana

– Massas gordurosas como croissant, coxinha, pastel, batata-frita etc.

– Carnes gordas e embutidos, como linguiça, salsicha, salame, bacon, presunto, mortadela etc.

– Queijos amarelos

– Manteigas e margarinas, principalmente as de consistência mais dura

– Atum e sardinha enlatados em óleo

Para finalizar, existem casos em que o aumento de triglicerídeos não tem origem em fontes alimentares, como os de origem genética, por uso de medicamentos como anticoncepcionais e antirretrovirais, durante a gravidez, entre outros. Consulte um médico especialista para saber qual é a causa e como tratar essa doença.

Outros Artigos

Gostou do nosso material ?

Continue acompanhando nossos lançamentos semanais, recebendo avisos diretamente no seu e-mail,
assine nossa newsletter e siga nossas redes sociais para ficar ligado!